Translate

domingo, 21 de julho de 2013

Ainda pequenina no amor - Capítulo II

Ainda pequenina no Amor
                                                                            Capítulo II

Nessa noite, Laura teve um pesadelo, sonhara tanto, que parecia que estava a viver a realidade.
Mas o que a mais marcou naquele sonho foi o fato de ver imagens do acidente, ver imenso sangue, sonhara que tinha um vestido branco vestido e assim caminhara até ao abismo, batera com a cabeça numa das pedras da falésia e que sangrava, a cabeça estava molhada de sangue antes mesmo de cair à água. Quando as águas do mar saborearam o seu corpo, e ela foi cada vez descendo mais ao fundo, a superfície ficou coberta de sangue, e quanto mais ela se afundava, mais sangue subia até ao topo, quem se encontrasse no topo daquele penhasco, podia observar o sangue que poisava nas superfícies das águas do penhasco do suicídio.
Eram 03:00h da manhã, quando Laura olhou para o relógio, imediatamente após acordar do seu pesadelo, sobressaltada, ofegante e espirito desesperado, estava consumida pelo medo, e assombrada pelo seu segredo. Não tirava da cabeça as imagens do seu sonho, o vestido branco manchado de sangue, a cabeça, as mãos e todo corpo ficaram preenchidos de sangue. Ela achava tudo estranho, porque recordando-se do dia, ela não levava vestido branco, aliás Laura, raramente vestia vestidos, e tinha muito pouca roupa branca, pois essa cor nunca foi sua predileta, dizia que era muito vazia, e ela precisava de algo com mais cor para animar os seus dias brancos.
Nessa noite, não conseguira mais adormecer, pois estava demasiado perturbada, com aquele sonho e os pensamentos que surgiram após o mesmo!
Só pensava em esquecer. Só desejava esquecer.
Na manhã seguinte, o dia apresentava-se cinzento, o céu gritava com os comuns mortais. A chuva entrava pela janela do seu quarto, ao que esta levantou-se a correr para fecha-la, estava a ouvir uma música triste melancólica, sobre sua cama, apenas mexia os pés ao som da música, as mão permaneciam quietas sobre o seu corpo esbelto. Sem o querer fazer, a imagem que lhe vinha à mente era a do seu querido e já tão desejado Pedro.
“É mentira, tens de o esquecer Laura, ele não é para ti, mas ele sabe do meu segredo, e se calhar mais do que eu, talvez saiba o desfecho do meu episódio quase suicida. Mas não vai ter que saber mais nada, eu não o vou ver mais, é isso, não o irei ver mais, se não o encontrar, não terei de dar explicações, nem lhe fazer perguntas, nem ficar vermelha de vergonha… “
Isto era o que Laura pensava e achava ser o mais sensato fazer, mas não o que ela desejava. Laura não era popular nos namoros, em toda a sua vida apenas namorara uma vez, e foi com o Fernando, seu colega de escola, a quem todos chamam de Nando, mas na altura, era Nandito que o tratavam. Nando se tornara num homem bastante popular na cidadezinha, por ajudar todas as pessoas em apuros, embora a sua profissão sempre tenha sido talhante, ou açougueiro, como lhe queiram chamar, os estrangeiros, chamavam de tudo, lá na sua língua, mas o pobre Nandito, pouco entendia de línguas estrangeiras, era pouco estudado e mal sabia português.
Ainda hoje sempre que passava pela bela Laura, lhe dava um sorriso, e dizia em tom maroto: “Laurinha ainda te lembras daqui do teu Nandito?” Laura sorria por educação, mas sentia que Nando ainda tinha uma certa adoração por ela, e para não criar mais esperanças andava sempre e pouco conversavam, lembrar-se dos tempos de escolinha não era propriamente o que ela queria. Fernando observava muito o comportamento e Laura mesmo que esta não se apercebesse, e todos os meses ia dar uns quilos de carne ao pai de Laura, Nando era bondoso, mas sempre gostou de ficar bem na foto.
Não sabia bem porquê, mas Laura pensou neste personagem enquanto colocava ordem aos seus pensamentos e sem querer soltou um sorriso, talvez seria por se ter recordado de ter 10 anos e dar o seu primeiro beijo ao mais popular herói das carnes ali da cidadezinha, o mais engraçado é que desde dos tempos da escola ele sempre desejava montar o próprio negócio, e ser açougueiro como seu pai, mas com a diferença de ser ele o patrão, mandando nas carnes todas. E por incrível ele conseguiu, feliz da mulher que o leve, pois ele ganha bem, deu-se bem na vida, mas mesmo assim não era o que satisfazia Laura, não era pelos bolsos cheios de dinheiro.
E Nando definitivamente não era o seu melhor amigo.
Ela apenas tinha um amigo, era Abel, o índio da comunidade, que havia crescido e agora tinha uns 20 anos, embora bondoso, todos reparavam nos olhos dele quando olhavam para os de Laura, percebia-se que não era apenas compaixão pela mesma, era mais que isso.
Tinha vezes, que nem Abel salvava Laura dos seus abismos emocionais, embora tentasse. Este era um índio com bastante capacidade espiritual, e intuição, pressentia quando algo estava mal com alguém que ele gostava muito.
Às vezes, Abel fazia de confidente, e escutava os dramas de Laura, quando esta lhe queria contar, porque Laura embora não parecesse, relativamente aos seus assuntos privados, era bastante reservada, para lhe arrancar uma palavra era necessário muito esforço.
Laura, preferia ir até ao penhasco e conversar com o mar ao invés de conversar com pessoas. Mas nesse dia era impossível sair de casa, a natureza estava contra ela, a chuva intensificava-se cada vez mais, a trovoada era cada vez mais agressiva. Só lhe restava permanecer dentro de casa. Pensou em escrever algo, no momento em que ia à sua bolsa procurar o caderninho dos desejos, falhou a luz em sua casa. Ela estava sozinha, muito provavelmente o pai encontrava-se num tasco qualquer a beber.
As horas passavam e estava cada vez mais a anoitecer ali, e ela permanecia sozinha, a escuridão estava a dominar aquela casa. Ela estava demasiado assustada, qualquer som estranho, ela soltava um grito, pensava que seria algum intruso pronto a fazer-lhe mal. Ela andava as voltas na casa, com uma vela acesa sempre perto dela, quando…
Fez-se um barulho no seu quarto, ainda que tremesse de medo ela foi ver do que se tratava, mas sempre prevenida com um faca que foi buscar na cozinha.
Passos lentos, tremidos de medo, quando abre a porta e…
-Olá Laura, parece que precisas de uma ajuda masculina aqui, ai ai sempre em apuros, precisas sempre que te proteja.
Quando Laura reconhecera a voz naquela escuridão ficou incrédula, era Pedro, como? Como entrara ele no seu quarto e porquê?
-Deves estar curiosa, como consegui aqui chegar, eu sei de muitas coisas Laura, ainda que não te apercebas, quando falhou a luz aqui na cidadezinha, resolvi vir até aqui, como a porta estava trancada e eu não me queria demorar, e não gosto do teu pai, resolvi entrar pela janela.
-Não gostas do meu pai?
-Claro que não, foi ele que te destruiu e te levou a quase suicidar, um homem assim não merece nada.
-Espera, primeiro de tudo, devias ter batido antes de entrar, segundo como sabes disso tudo e que tens tu a ver com o que me aconteceu? Foste tu que me salvaste?
-Queres saber tudo de uma vez, é normal da idade, mas não pode ser, tudo a seu tempo. Vim até aqui para te devolver o que te esqueceste.
Entregando assim o caderninho.
-Não me dei de conta que me tinha esquecido dele.
De repente a luz chegou.
-Bastou aqui chegares e a luz voltou, deves ser o meu anjo da guarda.
-Não Laura, não sou… apenas me preocupo.
-És um mistério, sabes muito e isso incomoda-me, às vezes sinto-me assustada.
O jovem sorriu e respondeu de imediato:
-Eu sei, mas isso faz parte, é minha intenção assustar-te, porque sei que sempre que o fizer iras ficar enfurecida, e te levará a reagir, todos nós lidamos com os problemas à nossa maneira e tu necessitas de um abanão.
Laura ficou furiosa com tais palavras e com o que ele sabia, mas aso mesmo tempo a acalmava, parecia a mãe a falar, conhecia-a também e lhe dava palavras capaz de a fortalecer.
O pai de Laura chegara, bêbado claro.
-Onde está o meu jantar, não acredito que esta cabra não me fez o jantar, entrou no quarto da filha e depara-se com os dois sentados no fundo da cama a conversar. Ele enraivecido por ver a filha na conversa e estar sem jantar, violentamente agarrou-lhe os cabelos, mas não chegou mais longe, Pedro interveio, afastando o bêbado dela, levou Laura dali, ela chorava por todo caminho, tremia de pânico.
Pedro levou-a para sua casa, apresentou-a aos pais e em privado contou-lhes o sucedido. Eles com pena da jovem deixaram-na ficar ali o tempo que necessitasse, ainda lhe ofereceram comida, e ela ficaria a dormir no quarto de hóspedes.
Os dias passavam e ela não queria mais voltar para casa, sentia-se bem ali, era uma casa acolhedora, cheia de plantas e carinho, havia amor tatuado no coração dos habitantes, e carinho pintado nas paredes, ela sorria como há muito não fazia. Ali não tinha medo, medo de um pai bêbado que discutisse ou a agredisse.
Ah e ficava muito mais perto de Pedro, com quem estava a estabelecer uma ligação cada vez mais forte, todas as noites depois das 00:00h, Pedro atrevia-se a entrar no quarto de Laura, conversavam uma hora ou mais, riam e contavam piadas um ao outro, sempre com imenso respeito. O problema da relação deles não evoluir para além de uma amizade era esse mesmo, o respeito a mais que Pedro tinha por Laura, às vezes sentia que ele a tratava como uma irmã, e achava que talvez ele não gostasse dela. Então ela começou a dar sinais, sempre que conversavam, ela olhava ternamente para seus olhos, observava seu rosto com admiração, sorria amorosamente, e pequenos toques no braço ou no ombro dele, ou abraços longos também contava para que ele tomasse o primeiro passo, mas mesmo assim Pedro não reagia e os dias continuavam a passar.
Mas porque será que Pedro não avançava?
Continua…

40 comentários:

  1. Respostas
    1. Ainda bem, muito brevemente irei postar o próximo!

      Eliminar
  2. Boa noite

    Humm Gostei do texto...Aguarda-se o desfeche...

    beijo
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Curiosa para parte 3 ♥
    ''Mas porque será Pedro não avançava'' essa parte se chama Sarah está em seu nível de curiosidade em 100% hahaha
    Beijos my beautiful :*
    http://sonhando-porai.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que está curiosa, muito em breve irei postar o próximo. :)
      Beijos

      Eliminar
  4. Nossa, essas noites mal dormidas acabam com a pessoa, hehe
    Tô curiosa pelo resto também, hehe


    Beijos
    Brilho de Aluguel

    ResponderEliminar
  5. Está ficar muito interessante...hummm...o que se passa com o Pedro?... Estou curiosa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, ainda bem que está curiosa, irei postar muito em breve :)

      Eliminar
  6. Super curiosa aqui kkkk, está ficando
    muito boa essa história!
    Beijos!
    www.mahmaquiagens.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário fico muito feliz, postarei em breve ;)
      Beijos

      Eliminar
  7. ooooooooooi pode seguir:
    princesinha-blog.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Por que???? Conta!!!!
    Tô curiosa, o que ele é? O que os pais fazem? Foi ele quem a salvou?
    Tantas perguntas! haha
    Não se demore com o próximo capitulo!
    Bjs

    http://achadosdamila.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que está a gostar e a despertar interesse :)

      Eliminar
  9. Nossa.. Fiquei super curiosa agora de saber oque os pais fazem... :\\\
    tô seguindo, segue de volta? irá me ajudar a completar a meta, por favor >.< sua participação é muito importante para mim!

    fique por dentro de toda moda, tendências, dicas para customizar ou personalizar, sobre garotos, paqueras, makes, tags, resenhas.. Aqui você terá uma grande amiga!

    ResponderEliminar
  10. Tão bom ler as tuas palavras, és uma querida! Ainda bem que te identificas-te. <3
    E fica já aqui a promessa de que um dia te vou convidar a passar umas semaninhas na minha mansão na Califórnia xD

    ResponderEliminar
  11. Nossaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa, que lindo gente, já escrevi um texto bem parecido em meu outro blog. Amei, beijos

    www.biancammartins.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  12. Adooro os textos que posta aqui, tbém fiquei curiosa com a continuação!

    Tem resenha de uma máscara profissional para hidratar os cabelos la no blog, dps passa lá!
    Beijos, ótima semana!

    ResponderEliminar
  13. Oi... adorando e na expectativa!
    bjs
    Ritinha

    ResponderEliminar
  14. Un relato lleno de expectativa... muy buena narración, un placer pasar a leerte!
    Te dejo un abrazo., buen comienzo de semana!

    http://perfumederosas-cristina.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  15. Nosssa, Encantada com seus textos, muito lindos...
    Garota você escreve muito bem viu,
    volto para ver o próximo capitulo
    fiquei ate com vergonha dos meus simples poeminhas no meu blog. rs

    http://chocolatecomcerejja.blogspot.com/

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  16. Caramba, que belíssimo trexto, que saber a continuação =)

    Confira o Esmalte da Semana. O esmalte da semana é um nude bem bonito e delicado. Estou in love com este esmalte ♥

    Beijinhos de luz =***

    Cllara Maranhão ʚɞ
    http://cllaramaranhao.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  17. Comecei a ler e tive que ir pro primeiro capítulo, não teve jeito. Gostei demais e to super curiosa pra ler mais! E não demora a postar ein? =)

    Blog: O silêncio não existe
    FanPage: www.facebook.com.br/osilencionaoexiste
    Beijos, Lenise

    ResponderEliminar
  18. nossa o que vou dizer, vc escreve muito bem vc consegue passar emoção através das palavras e é isso que eu gosto nos seus texto porque vc escreve com carinho,paixão como sempre vc esta de parabéns minha linda amiga beijos

    ResponderEliminar
  19. Olá Ariel vim de fazer uma visita e espero vc no meu tbm tá bjs...
    http://drea-amigos.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar